Agroicone anuncia nova estrutura societária anuncia nova estrutura societária

 

 

A partir de março de 2018, a Agroicone, empresa dedicada à produção de pesquisas aplicadas, estudos personalizados e interlocução com os diversos públicos da agricultura brasileira, contará com uma nova estrutura societária.

 

Rodrigo Lima, Leila Harfuch, Luciane Chiodi, Laura Antoniazzi e Marcelo Moreira, especialistas que atuam na organização desde a sua fundação, passarão a responder pela gestão corporativa e de projetos, bem como novos negócios ligados ao desenvolvimento sustentável de cadeias produtivas.

 

André Nassar, que até o presente momento era diretor de Estratégia e Novos Negócios, deixa a companhia para assumir novos desafios em uma entidade setorial do agronegócio.

 

“Em 2018, a Agroicone comemora cinco anos de atuação. De lá pra cá, desenvolvemos muitos projetos de impacto e esperamos cooperar ainda mais com empresas, entidades, e organizações na construção de uma agropecuária sustentável e transformadora”, afirma Rodrigo Lima, diretor-geral da Agroicone.

 

Entre os últimos projetos, destacam-se:  diversas contribuições do projeto Iniciativa para o Uso da Terra (INPUT) em prol da implementação do Código Florestal, como os planos de ação das cadeias de carne bovina, cana-de-açúcar, florestas plantadas e soja; o desenvolvimento de guias dos Programas de Regularização Ambiental (PRA) nos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Pará; a participação nos cálculos de uso da terra para o Programa RenovaBio; as análises econômicas e financeiras de projetos de intensificação da pecuária; e as estimativas de impactos de subsídios ao açúcar em mercados concorrentes.

 

Além disso, a companhia segue aprimorando o Modelo de Uso da Terra para a Agropecuária Brasileira (BLUM), criado em 2009, pelo então Instituto Icone – que deu origem à Agroicone – em parceria com o Food and Agricultural Policy Research Institute (FAPRI) da Universidade de Iowa dos Estados Unidos. O BLUM quantifica a mudança no uso da terra causado pela agropecuária e estima a produção das principais atividades do setor para os próximos 10 a 20 anos.

 

“Seguimos construindo parcerias estratégicas com empresas, sociedade civil e governos para projetos de implementação, pautados na geração de conhecimento e inteligência, que é o DNA da Agroicone”, afirma a sócia Leila Harfuch.

 

Please reload

Encontrou algum problema no site? Nos explique melhor aqui.