Contratos futuros do café no mercado internacional registram ganhos moderados na semana

April 27, 2018

Por outro lado, segundo análise do CNC, aproximação da colheita no Brasil mantém cotações pressionadas

 

 

Os contratos futuros do café no mercado internacional registraram ganhos moderados nesta semana, puxados por coberturas de posições vendidas dos fundos em meio à ausência de novidades nos fundamentos, aponta análise do Conselho Nacional do Café (CNC). Por outro lado, a aproximação da colheita no Brasil mantém as cotações pressionadas.

 

De acordo com a Somar Meteorologia, o ar seco toma conta de grande parte das principais áreas de arábica entre as Regiões Sul e Sudeste do Brasil. Após o feriado de 1º de maio, a tendência é que haja avanço de uma frente fria pelo Sudeste, alterando as condições climáticas no Estado de São Paulo, com possibilidade de chuvas volumosas na divisa com o Paraná. O serviço prevê, ainda, redução das temperaturas a partir de meados do próximo mês.

 

Na ICE Futures US, o contrato C com vencimento em julho de 2018 encerrou o pregão de quinta-feira (26) a US$ 1,1965 por libra-peso, com alta de 195 pontos na comparação com a semana anterior. Na ICE Europe, o vencimento julho do café robusta aferiu ganhos de US$ 12, negociado a US$ 1.771 por tonelada.

O dólar comercial avançou 1,9% no acumulado semanal, porém não teve impacto sobre o café. A divisa subiu com indicadores econômicos positivos nos Estados Unidos, já que as encomendas de bens duráveis aumentaram 2,6% no mês passado frente a fevereiro, percentual acima do 1,8 ponto esperado.

 

Outro fator que também influenciou a alta da moeda foi a redução de 24 mil no número de pedidos de auxílio-desemprego na semana até o dia 21 – menor resultado desde 6 de dezembro de 1969 nos EUA –, ficando abaixo dos 228 mil que aguardavam analistas.

 

No Brasil, o dólar acompanhou o desempenho externo e encerrou a sessão de quinta-feira (26) a R$ 3,4767, apurando crescimento de 1,9% na comparação com o fechamento da semana passada. Analistas comentam que a tendência técnica é de alta, por isso entendem que um ajuste positivo deve ganhar força em meio à ausência de intervenção do Banco Central no câmbio.

 

O mercado físico do café segue com poucos negócios realizados no Brasil, conforme indica o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Os indicadores para os cafés arábica e conilon apurados pela instituição situaram-se em R$ 437,32/saca e a R$ 326,35/saca, respectivamente, com variações de 2,4% e 0,8% na semana.

 

Please reload

Encontrou algum problema no site? Nos explique melhor aqui.