Diretor da Unica relata expectativas em relação ao próximo Ministro da Agricultura

October 25, 2018

A votação do segundo turno das eleições presidenciais será realizada no próximo domingo (28), mas já há uma grande expectativa de muitos setores em relação aos futuros ministros.

 

Especificamente em relação ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o diretor-executivo da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), Eduardo Leão, afirma esperar que o próximo ministro ajude na regulamentação da Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio) e no combate a barreiras comerciais, como as da China, Tailândia e Índia.

 

“O açúcar hoje é, seguramente, o produto mais protegido no mundo. O Brasil representa mais de 40% das exportações mundiais de açúcar, mas se depara com um mercado extremamente fechado e com fortes subsídios, incentivos artificiais à produção”, afirma e continua: “Isso faz com que tenhamos dificuldades de acesso a muitos países e prejudica a competição. É muito importante que o próximo governo continue com essa postura agressiva no mercado externo, de forma que nós deixemos de ser tão penalizados como vínhamos sendo até agora”.

 

Caso Jair Bolsonaro seja eleito presidente da República, Leão se preocupa com a possível fusão dos ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente. “É algo realmente complexo porque há alguns temas que têm sobreposição. Acho que são complementares em muitos dos casos, mas a agenda do Meio Ambiente é muito mais ampla do que a Agricultura. Nós vemos com algum grau de complexidade essa ideia”, afirma.

 

Por sua vez, ele também tem ressalvas sobre um eventual governo de Fernando Haddad. “Acho que causa preocupação ainda maior, de como vai ser a postura de um governo que tem pensado mais na área social, na agricultura familiar, como irá se voltar para dentro do agronegócio”, aponta e continua: “Acho que, a partir do momento que tem um novo chefe do Executivo, é um momento de diálogo, de apresentar as demandas e discutir o que esse novo presidente espera dos setores da economia e do agronegócio”.

 

Leão resume suas expectativas afirmando que o futuro presente deve escolher alguém que entenda dos problemas da agricultura, com suas várias especificidades: “É [um ministério] bastante complexo, pelo número de temas que aborda. Deveria ser alguém com conhecimento e alguma experiência na atividade, mas que também tenha um bom trânsito, seja no Executivo, seja no Legislativo”.

 

Rafael Walendorff

Please reload

Encontrou algum problema no site? Nos explique melhor aqui.