Presidente do Parlamento britânico barra votação do acordo do Brexit nesta segunda

October 21, 2019

John Bercow se recusou a pautar a votação do Brexit nesta segunda (21) porque a questão já foi votada no sábado; agora, o texto da saída do Reino Unido voltará a tramitar para ser reapresentado.

 

O presidente da Câmara dos Comuns, John Bercow, barrou nesta segunda-feira (21) a votação do acordo do Brexit feito pelo premiê britânico, Boris Johnson, com a União Europeia na semana passada.

"Eu tomei uma decisão baseada em princípio e há muitas oportunidades par ao governo conseguir o que quer, com a aprovação do Parlamento, até o fim de outubro", afirmou Bercow.

 

 

Não se pode colocar uma mesma questão ao Parlamento duas vezes, argumentou Bercow.

 

Ele afirmou que seguirá pela alternativa de deixar a proposta de legislação tramitar antes de ter um voto de sim ou não.

“Em resumo, a moção de hoje é, em seu conteúdo, semelhante à moção de sábado (19), e a Câmara dos Comuns decidiu a questão. As circunstâncias de hoje (segunda, 21) são as mesmas de sábado (19).”

 

Acordo negociado

 

Johnson retornou triunfante de Bruxelas na sexta-feira (18), com um acordo renegociado - algo que muitos consideravam impossível.

Ele convocou o Parlamento para uma sessão no sábado (19), algo que não acontecia desde a guerra das Malvinas em 1982, confiante de que conseguiria a aprovação do novo acordo. Os deputados adiaram a decisão.

Assim, o premiê se viu obrigado a solicitar formalmente ao bloco europeu um novo adiamento da data do Brexit, inicialmente previsto para março e prorrogado por duas vezes. A data atual para que o Reino Unido deixe o bloco europeu ainda é 31 de outubro.

Johnson foi obrigado a pedir uma nova extensão do prazo– apesar de repetidas vezes anunciar que se recusaria a fazê-lo – para cumprir uma lei aprovada pelo Parlamento britânico em 4 de setembro. Ele não assinou a carta em que fez esse pedido, porém anexou uma segunda carta, esta sim assinada, em que afirma que o adiamento é uma ideia ruim.

 

União Europeia sinaliza que aceita

 

O ministro da Economia da Alemanha, Peter Altmaier, disse que acredita que será possível permitir uma extensão do prazo para que a legislação seja aprovada ou até mesmo para dar tempo para uma eleição geral.

“Já concordamos em prorrogar duas vezes. Eu repeti que não sou ideologicamente contrário a ampliar de novo alguns dias ou semanas se tiver uma boa solução que exclua um Brexit sem acordo”, ele afirmou.

 

Please reload

Encontrou algum problema no site? Nos explique melhor aqui.